Os tipos de revisão veicular e como escolher a melhor para o seu carro

Todo proprietário de veículos sabe como a revisão dos automóveis é importante para garantir que todos os seus componentes funcionem corretamente, garantindo mais economia quando o assunto é manutenção corretiva. Ainda assim, estar em dia com a revisão do seu veículo não é apenas uma medida para trazer mais segurança e aumentar a vida útil do seu carro, mas também é uma obrigação do proprietário, já que um veículo sem revisão pode gerar multas e penalidades.

De acordo com os artigos 104 e 230 do Código de Trânsito Brasileiro, conduzir um veículo reprovado na avaliação de inspeção de segurança e de emissão de poluentes e ruído, assim como trafegar com um carro, moto ou caminhão em mau estado de conservação, é considerada uma infração grave passível de multa e perda de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Sendo assim, se você não realiza a revisão no veículo regularmente, pode enfrentar esse e outros problemas.

Conheça alguns cuidados com seu carro antes de pegar a estrada aqui

Sendo um item tão importante para o dia a dia do veículo e para a segurança do proprietário, a revisão precisa ser realizada periodicamente, contando com a experiência e o conhecimento do próprio motorista a respeito do carro. Para ajudar, separamos algumas dicas fundamentais para aqueles que desejam saber um pouco mais sobre os tipos de manutenção veicular e como decidir qual a melhor opção para o seu automóvel. Confira abaixo e mantenha-se bem informado!

Quais os tipos de revisão veicular?

Quando falamos de revisão veicular, é muito importante saber que existem diferentes formas de realizar esse procedimento no seu automóvel. Todas elas estão de acordo com as determinações legais, mas é preciso ter conhecimento de como cada uma funciona a fim de determinar qual o melhor momento para realiza-las, contando com a indicação do profissional especializado no memento da inspeção inicial.

Assim como acontece nos diferentes tipos de manutenção aplicadas aos veículos pesados, como caminhões de carga, ônibus e caminhões-cegonha, no caso das revisões o princípio é o mesmo. Sendo assim, as opções de revisão veicular que devem ser observadas e compreendidas pelo proprietário do automóvel são a preventiva, a preditiva e a corretiva.

Revisão preventiva

No geral, a revisão preventiva é, como o próprio nome já indica, uma forma de cuidar regularmente do seu veículo a fim de prevenir qualquer problema futuro que ele possa desenvolver. Como regra, esse tipo de revisão visa manter tudo sempre em ordem, com a manutenção de todas as peças em dia para que não ocorram problemas no futuro.

Dentro dessa modalidade, é comum que todas as peças sejam testadas e avaliadas para identificação de qualquer desgaste. Dessa forma, é possível perceber a necessidade de troca e efetuar o processo antes que o veículo seja afetado, evitando estragos e acidentes.

Como uma medida muito importante para garantir a saúde do veículo, a revisão preventiva é muito indicada para automóveis que circulam com regularidade, principalmente em se tratando de revisão no carro antes de uma longa viagem. Além de ser uma medida de segurança, essa modalidade pode gerar uma boa economia para o proprietário do veículo, evitando que outros danos sejam desencadeados por conta de uma peça defeituosa ou desgastada.

Revisão preditiva

Enquanto a revisão preventiva permite a identificação e troca de uma peça que já apresenta um certo nível de desgaste, a revisão preditiva tem como principal função oferecer uma análise técnica prévia de todo o estado do veículo, ou seja, de acordo com as recomendações do próprio fabricante.

Dentro dessa modalidade, os veículos são submetidos a uma série de testes por meio das informações básicas, que servem para observar o grau de desgaste das peças e identificar se e quando será realmente necessário realizar a manutenção do veículo.

Na manutenção preditiva, o intuito é sempre antecipar qualquer dano, utilizando técnicas e processos a fim de determinar, com o máximo de precisão possível, o tempo de vida útil dos componentes das máquinas e as condições para que esse tempo de vida seja melhor aproveitado.

Através das indicações do fabricante, é possível saber, por exemplo, que a troca de amortecedores deve ser realizada após 40.000 km rodados. Ao optar pela revisão preditiva, o proprietário poderá saber se, no caso específico do seu próprio veículo, essa substituição é realmente necessária depois dos quilômetros recomendados ou se deve ser feita antes.

Revisão corretiva

Como o próprio nome já diz, a revisão corretiva serve para corrigir um problema que não pôde ser identificado anteriormente. Através das análises e testes, o veículo que já apresenta um defeito é diagnosticado com precisão e então é realizada a troca das peças necessárias.

Apesar de não ser a forma mais indicada de revisão veicular, a modalidade corretiva pode ser adotada quando o proprietário sabe avaliar os custos relativos à troca da peça e identifica que a melhor e mais econômica forma de lidar com a situação é esperar que o problema se apresente para só então corrigi-lo. Mesmo assim, esse tipo de decisão deve sempre levar em conta o estado de conservação do veículo e, principalmente, se o dano não colocará em risco a sua segurança, aumentando as chances de se envolver em um acidente, por exemplo. 

Como observamos, a revisão veicular é muito importante e deve ser um item muito bem observado pelos proprietários. É importante lembrar que, como medida de segurança, os veículos que circulam sem revisão adequada podem ser retidos por não apresentarem boas condições para trafegar, conforme a lei.

Essa regra é aplicada a todos os tipos e modelos de automóveis, desde um carro de passeio a até um caminhão-cegonha, por exemplo, valendo também para todo e qualquer ano de fabricação. Por isso, mantenha-se sempre bem informado e invista na revisão do seu veículo regularmente.

Faça uma cotação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *